Perfil

SIC Radical

"The Matrix Resurrections" está quase aí... e um novo cartaz do filme antecipa o reencontro de Neo e Trinity

"É tempo de regressar às origens" surge como a frase que acompanha a divulgação da imagem oficial do 4.º filme desta saga.

O regresso de Matrix já está marcado! Falta precisamente um mês para a chegada de um novo filme desta saga, que na sua quarta série foi anunciado como “The Matrix Resurrections”. E, para continuar a antecipar a estreia oficial, que em Portugal também está agendada para 22 de dezembro (numa estreia paralela nos cinemas e na plataforma HBO Max), foi divulgado o cartaz do filme, onde se destaca o reencontro de Neo (Keanu Reeves) e Trinity (Carrie-Anne Moss), aos quais se junta Morpheus, agora interpretado por Yahya Abdul-Mateen II.

Ainda há muito mistério em redor deste último filme, apesar do trailer oficial, e da última imagem divulgada, já esclarecerem um pouco melhor os fãs da trilogia sobre o que se poderá esperar. Afinal, Neo e Trinity estão vivos, e marcam um regresso a Matrix. Significará isso que o último acordo de paz estabelecido fracassou?

A sinopse de ‘Resurrections’ já revelava que Matrix estava “mais forte, mais segura, e mais perigosa do que nunca”, e agora, para além das personagens já citadas, muitos outros nomes de anteriores sequelas vão estar presentes neste filme. Como referido, Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss vão repetir os seus papéis, juntamente com Jada Pinkett-Smith, Daniel Bernhardt, e Lambert Wilson. Novos rostos incluem Jessica Henwick, Christina Ricci, Neil Patrick Harris, Priyana Chopra, e Jonathan Groff, citado pelo IGN.

Realizado por Lana Wachowski, a partir de um guião de Wachowski, David Mitchell e Aleksander Hemon, foi ainda recentemente noticiado que “The Matrix Resurrections” esteve em risco de ser cancelado, fruto da pandemia por Covid-19. Jessica Henwick, uma das novas atrizes da saga, contou ao website Collider que Wachowski ponderou “várias vezes” interromper as gravações, com incertezas quanto à sua possível continuidade.

Durante os confinamentos, eu tranquei-me em casa, a estudar as minhas falas, embora não soubesse se iríamos ou não regressar. A Lana dizia: ‘Bem, talvez seja isso. Ou talvez não voltemos a filmar o que nos falta. Talvez o Matrix seja este filme lendário que está incompleto, e que ninguém terá a possibilidade de ver. Talvez seja isso que está destinado’. Nós ficávamos sempre inquietos, e insistíamos para que ela terminasse o filme. Depois percebemos que era uma brincadeira. E nem sei se devia estar a falar sobre isto”, confessou a atriz.

nas redes

pesquisar