SIC Radical

Perfil

Borgen - De segunda a quinta na SIC Radical

Borgen - De segunda a quinta na SIC Radical

Porque a política pode ser apaixonante!

orgen": Um drama político dinamarquês de sucesso

Aclamada nos EUA e em vários países europeus e premiada com o prestigiado "British Academy TV Award" para melhor série internacional, com um BAFTA e um Emmy, "Borgen" estreia a 1 de Julho às 22h00 na SIC Radical. Segunda a Quinta às 22h00 na SIC Radical

O enredo – a ficção e a realidade No primeiro episódio deste drama político, Birgitte Nyborg chega a primeira-ministra do reino da Dinamarca. A série retrata a sua subida ao poder e segue a líder do Partido Moderado a partir do momento em que esta chega a chefe do Governo depois de um processo de negociação de coligações.

Episódio a episódio vamos assistir a todos os jogos de poder e interesse que existem dentro da política dinamarquesa e a como eles influenciam a vida profissional e pessoal de Birgitte Nyborg, tornando-se por vezes difícil para a primeira-ministra conciliá-las e fazendo com que os ideais de Birgitte sejam postos à prova ao mesmo tempo que a esta tem de cometer sacrifícios políticos e tenta manter unida a sua família, da qual faz parte o seu marido e os seus dois filhos.

E como num bom drama político não pode faltar um jornalista, junta-se ao enredo a dupla de peso. Falamos de Kasper Juul (Pilou Asbaek), assistente de relações públicas e imprensa da primeira-ministra - têm uma história de amor antiga em comum - e que é o contacto da jornalista Katrine Fonsmark (Birgitte Hjort Sorensen). Porém, Fonsmark, tal como Nyborg, vai ter de a sua dose de acrobacias morais que lhe vão trazer algumas desventuras.

O sucesso internacional Uma das razões do imenso sucesso da série na Dinamarca e internacionalmente foi o facto de quando a primeira temporada de “Borgen” ter ido para o ar, em 2010, Birgitte (interpretada por Sidse Babett Knudsen) se ter transformado na primeira mulher a ocupar tal posição na hierarquia política dinamarquesa. Um ano mais tarde, em 2011, a realidade acabou por imitar a ficção e Helle Thorning-Schmidt alcançou o Palácio de Christiansborg, sede dos poderes legislativo, executivo e judicial daquele país — tornando-se, precisamente, na primeira mulher a consegui-lo.

Apesar de muitas vezes comparada a “House of Cards” ou até a “Homens do Presidente”, o criador de “Borgen”, Adam Price, rejeita as comparações e confessa que o sucesso internacional da série o surpreendeu. Ninguém esperava que se tornasse tão bem sucedida no Reino Unido e nos Estados Unidos, dois grandes mercados da produção audiovisual.

Traições, jogos de poder, rivalidades, desencontros familiares, paixões várias são algumas das razões que levaram o escritor norte-americano Stephen King, na sua eleição de 2012 para a "Entertainment Weekly", a considerar “Borgen” como o seu programa favorito, segundo uma nota da televisão dinamarquesa KCET.

nas redes

pesquisar